Endovet Centro Médico Veterinário

16 3632-2778 16 3632-2193 24 horas

Seborreia em cães

A seborreia é uma doença muito comum que afeta o couro cabeludo dos cães, em especial as zonas do torso, as patas e a cara. Com a seborreia as glândulas sebáceas da pele produzem uma grande quantidade de sebo, causando ao mesmo tempo, escamas, crostas e excesso de gordura.

Apesar de ser muito comum, se a seborreia não for tratada a tempo, pode levar a infecções secundárias da pele. Muitas vezes os cachorros cheiram mal devido à acumulação de gordura e óleo no seu pelo. Adicionalmente, esta condição pode fazer com que o animal se coce demasiado nas zonas afetadas causando hemorragias e outros danos na pele.

O que é a seborreia? Por que ocorre?
A seborreia é uma doenças que se pode considerar com frequência secundária. Ou seja, que é provocada por outra doença e é uma das manifestações que indica que o animal pode estar apresentando um problema mais grave. Estas doenças primárias poderiam ser:
·Alergias
·Fungos
·Transtornos endócrinos
·Câncer de pele
·Dietas pobres em nutrientes
·Transtornos metabólicos
·Doenças pancreáticas
·Parasitas
·Doenças autoimunes

Outras causas e predisposições
Por outro lado, a seborreia do tipo primária considera-se como uma doença hereditária, na qual existem certas raças predispostas à sua presença como: Labrador Retriever, Golden Retriever, Cocker Spaniel, Basset Hound, Pastor Alemão, West Highland White Terrier, Shar Pei, entre outros. No geral, este tipo de seborreia é uma condição que afeta os cachorros antes de chegarem aos 2 anos de idade.

Tipos de seborreia
Existem dois tipos de seborreia que estão relacionados com a evolução da condição de pele do cachorro:
·A seborreia canina seca é a forma escamosa, que ocorre durante as etapas iniciais, quando o excesso de queratina se acumula sobre a pele. Este tipo de seborreia pode ser visto, mas não causa sintomas clínicos importantes.
·A seborreia canina oleosa é o tipo de doença oleosa, que se caracteriza pelo excesso de gordura e falta de brilho no pelo. Nesta etapa, os sintomas que se apresentam são mais óbvios e incômodos: pelos oleosos unido a pele seca e escamosa, irritação e necessidade de se coçar. Quando a doença está muito avançada podem ocorrer infecções da pele e nos ouvidos internos, alopecia, febre, perda de condição física e do apetite e a depressão devido ao ataque ao sistema imunológico. É importante ter em conta que a maioria dos casos registados de seborreia em cães, apresentam uma forma combinada dos dois tipos da doença.

Diagnóstico da seborreia
O diagnóstico da seborreia hereditária ou primária realiza-se apenas quando as outras causas tiverem sido descartadas. Se se tratar de uma seborreia secundária é fundamental diagnosticar a causa base do problema, de maneira a que o nosso pet se recupere o mais rápido possível.

Agora, para que a seborreia se possa diagnosticar de forma precisa e correta, sabendo quais são as causas reais da doença, é necessário consultar o veterinário para que este realize estudos específicos da pele, um exame físico, raspagens da pele para identificar parasitar, cultivos de fungos, análise de sangue e exame de fezes. É possível que o especialista peça uma biópsia da pele, caso considere necessário.

Tratamento da seborreia canina
Antes de iniciar qualquer tratamento é importante saber que tipo de seborreia queremos tratar. Quando a doença se encontra ainda na sua etapa inicial e a pele do animal não apresenta feridas causadas pela coceira, o tratamento costuma ser indolor e simples. A duração aproximada é de um mês e baseia-se na sua maioria em lavar o cachorro, uma vez por semana, com água fria e sabão anti-seborréico, dando ênfase nas zonas mais problemáticas. Os banhos poderão ser complementados com suplementos vitamínicos. Se a seborreia for oleosa, poderá ser aplicado peróxido de benzoíla ou sulfeto de selênio.

Se a seborreia for do tipo hereditária, é incurável mas totalmente tratável. Com um bom tratamento e uma constante supervisão veterinária, a seborreia pode-se manter sob controle e conseguir que o animal continue tendo uma vida normal. Para a forma hereditária é bom dar-lhe banhos semanais com ácido salicílico e enxofre e administrar-lhe medicamentos por via oral, como por exemplo retinoides. Quando um cachorro sofre de seborreia (de qualquer tipo) é muito positivo adicionar à sua dieta alimentos ricos em ácidos graxos ômega 3, como por exemplo o óleo de salmão. Além disso, é importante afastá-lo o mais possível das zonas complicadas onde tiver feridas causadas pela coceira.

Fonte : www.peritoanimal.com.br